Inga laurina (ingá branco)

Árvore Inga Laurina

Minha infância foi maravilhosa, muitas brincadeiras de rua, minha querida queimada e claro também teve a brincadeira de subir nas árvores.

Eu tinha uma em especial, ela não era e ainda não é muito comum, mas a minha primeira e querida árvore foi o ingá branco (Inga laurina). Curioso é que o ingá não é o fruto mais comentado por aí, o mais normal é escutar as pessoas falarem que na sua infância apanhava frutas como: manga, jaca, fruto do conde, carambola, entre muitas outras.

Onde morei por quase toda a minha vida não tinham essas árvores na rua, mas tinha o ingá. O fruto do ingá é muito atrativo para os morcegos, mas para nós, seres humanos não muito.

Não sei o que me fez gostar do ingá, talvez pelas sementes serem ensopadas, envoltas por uma deliciosa polpa, que lembra um algodão molhado.

O ingá é uma árvore muito coringa, aguenta alagamentos e está presente em diversos ecossistemas brasileiros, como: Floresta Atlântica, caatinga, cerrado e na restinga.

Apesar das literaturas descrevem a frutificação do ingá branco entre os meses de novembro a março, sabe-se que a frutificação depende de fatores externos, como temperatura, chuvas e qualidade do solo. Mas se quiser experimentar o ingá, busque entre os meses de novembro a maio que será garantido.

Na minha rua era sempre no mês de maio, eu e a criançada subia nas árvores do ingá branco, e saíamos de sacolas cheias. E mesmo assim, sobrava muitas para os morcegos. É por momentos simples como esse, que me fazem lembrar a minha infância com muito carinho.

Por fim, conte-me através do e-mail contato@pitangaamarela.com.br, qual é a sua árvore?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *